Central de transplantes faz campanha para doação de medula

terça-feira, 1 de setembro de 2009 |

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) faz uma mobilização em Nazaré da Mata, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, para aumentar o número de doadores do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) em Pernambuco A iniciativa, coordenada pela Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE), começou nesta segunda (31) e acontece até a quarta-feira (2).

A programação da campanha na cidade inclui mobilização em igrejas e na sede da Secretaria Municipal de Saúde de Nazaré. O cadastro poderá ser realizado em dois locais: no campus em Nazaré da Mata da Universidade de Pernambuco (UPE), no horário das 8h às 22h; ou na sede da Associação das Mulheres de Nazaré da Mata (Amunam), no centro da cidade, das 8h às 17h.

“A iniciativa foi pensada para descentralizar a coleta para o cadastro e, assim, aumentar a miscigenação do código genético para encontrarmos mais pacientes que possam receber o transplante”, explica Jaqueline Diniz, enfermeira da CT-PE que está coordenando a ação.

De janeiro a julho deste ano, a CT-PE cadastrou 13.175 novas inscrições de voluntários do Redome. O registro reúne informações (nome, endereço, resultados de exames, características genéticas) de pessoas dispostas a doar medula para o transplante. Quando alguém que precisa do transplante não possui um doador compatível entre seus parentes, é feita uma busca no sistema por um doador cadastrado que possa ter compatibilidade.

De acordo com o Inca, o Redome já é responsável por cerca de 70% dos doadores encontrados. “O Redome é a única chance para pacientes que não encontram doadores entre seus familiares”, explica Zilda Cavalcanti, coordenadora da CT-PE.

Para participar do Redome, basta ter idade entre 18 e 55 anos e boa condição de saúde. O cadastro é feito com a coleta de uma amostra de sangue (05 ml)  utilizada no exame que diagnostica características genéticas importantes para a verificação da compatibilidade entre o doador e o receptor.

Os dados do doador são catalogados no cadastro e a compatibilidade é verificada cada vez que surge um novo paciente à procura de transplante. Se há compatibilidade, o doador será informado e consultado para decidir sobre a doação, que é um procedimento seguro, realizado em um hospital, sob anestesia geral, e requer internação de, no mínimo, 24 horas.

Da redação do Pe 360 graus

0 comentários: