Servidores da Apevisa também paralisam atividades

quinta-feira, 30 de abril de 2009 |

Mais de 200 trabalhadores da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa) também paralisaram suas atividades nesta quinta-feira (30). Os servidores atendem ao chamado do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Pernambuco (Sindsaude), do qual são filiados, que promove mais uma paralisação de advertência por 24 horas, da 7h da manhã desta quinta-feira (30) até às 7h da manhã do dia seguinte (1), definida em assembléia no dia 16 de abril. Fiscalizações e monitoramentos em hospitais, de alimentação e da qualidade da água estão suspensas. Nos hospitais, serão garantidos os atendimentos nas emergências e urgências com 30% do quadro de funcionários. Nos ambulatórios, serão atendidos pacientes com queimaduras e problemas de curativos vasculares e a entrega de remédios essenciais.

Às 8h30, aconteceu uma assembléia no auditório do Hospital da Restauração, no Derby, para definir os rumos do movimento. Às 10h, o Sindsaúde e o Simepe realizam protesto contra a aprovação do Projeto de Lei Parlamentar (PLP) 92, que define as áreas de atuação de fundações instituídas pelo poder público e possibilita a União e Estados passar a responsabilidade da gestão da saúde para fundações de direito privado. Outra paralisação está prevista para o dia 06 de maio.

O Sindsaúde reivindica uma resposta do governo do Estado para a pauta de reajuste salarial e melhores condições de trabalho encaminhada desde janeiro para o Executivo. "A data-base (limite) para termos uma definição é 1 de junho, mas precisamos negociar isso antes, mas até o momento o governo não deu nenhum posicionamento e ainda precisaremos trazer a proposta do executivo para a categoria votar", disse a coordenadora-geral do Sindsaúde-PE, Perpétua Rodrigues.

A expectativa é que 10 mil funcionários, entre analistas em saúde (enfermeiros, fisioterapeutas e assistentes sociais), técnicos e auxiliares em enfermagem, agentes administrativos e auxiliares em saúde cruzem os braços nas unidades do Recife, Região Metropolitana e interior do Estado. Atualmente, o salário-base do servidor de nível elementar é R$ 415; de nível médio, R$ 520; e nível superior, R$ 1.170. A proposta do Sindicato dos Servidores da Saúde (Sindsaúde) é que os salários passem para R$ 919; R$ 1.180; e R$ 2.299, respectivamente.

Consórcios - Na última quarta-feira (29), o Sindsaúde-PE entrou com pedido de esclarecimento no Conselho Estadual de Saúde de Pernambuco sobre o termo de compromisso para a criação do Consórcio Intermunicipal do Sertão do Araripe assinado pelo governador Eduardo Campos, na última sexta-feira (24), com 13 municípios. Com o termo, o Estado repassa a administração das unidades do Sertão do Araripe para os municípios e continuará apenas repassando recursos.

As cidades que participam do acordo são: Afrânio, Araripina, Bodocó, Dormentes, Exu, Granito, Ipubi, Moreilândia, Ouricuri, Parnamirim, Santa Cruz, Santa Filomena e Trindade. Segundo o governo, mais oito consórcios deverão ser criados em Pernambuco.

0 comentários: