Água garantida até o próximo verão

O abastecimento de água no interior do Estado está garantido até o fim do próximo verão. Dos 12 mais importantes reservatórios do Agreste, Sertão e Zona da Mata, nove estão sangrando e os outros estão com mais de 80% da capacidade de armazenamento. A última vez que os pernambucanos contaram com um cenário como esse foi em 2004, segundo o diretor de controle operacional da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Sérgio Torres. As chuvas que atingiram o Nordeste nas últimas semanas e afetaram 14 cidades de Pernambuco contribuíram para elevar os níveis de barragens, embora tenham provocado enxurradas e deixado centenas de pessoas desalojadas.

“Mas, diferentemente do que aconteceu em outros Estados, não tivemos uma catástrofe. Apesar dos transtornos, choveu na medida certa”, afirmou Torres. A Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe) informou que os municípios afetados estão conseguindo suprir as necessidades e muitos moradores retornaram para casa.

De acordo com Torres, nenhum dos reservatórios administrados pela Compesa oferece risco à população. “As barragens operadas pela companhia são fiscalizadas periodicamente. Quando é detectado algum problema, sanamos imediatamente”, disse Torres.

A maior barragem do Agreste, a de Jucazinho, com capacidade para 327 milhões de metros cúbicos, está 90% cheia. O reservatório é responsável pelo abastecimento de 15 municípios, entre eles Caruaru, Bezerros e Gravatá. A Barragem do Prata, que armazena até 42 milhões de metros cúbicos, está com mais de 88% de sua capacidade. Na região, encontram-se sangrando Tabocas, que abastece Santa Cruz do Capibaribe e Toritama, Pedro Moura Júnior, do Rio Ipojuca, que atende Belo Jardim, e Inhumas, que fornece água para Garanhuns.

Entre as barragens que encontram-se sangrando na Zona da Mata estão a de Cursaí, que atende os municípios de Carpina, Paudalho, Lagoa de Itaenga, Chã de Alegria e Tracunhaém.

No Sertão, todas as principais barragens estão vertendo, como a do Rosário, de 34 milhões de metros cúbicos, que abastece Iguaraci, Tuparetama e Ingazeira. Em Serra Talhada, o açude Cachoeira II também está sangrando, assim como Brotas, que atende Afogados da Ingazeira e Tabira, e Riacho do Pau, em Arcoverde. “Tínhamos a expectativa que este ano fosse bom com relação às chuvas. Mas nos surpreendeu o fato de elas terem chegado em abril e maio, quando estavam previstas para vir de janeiro até março”, afirmou o diretor da Compesa.

Larissa Brainer

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.