No Cafezinho

Tem que pagar pra ver o filme do Lula? Porra! Peraê!! Horário Eleitoral não é gratuito?

Prezados amigos, estou de volta para este bate-papo nem tantas vezes sadio e harmonioso, mas depois de tantas e tantas andanças de Beth Carvalho e Por andei de Nando Reis, volto a blogar por momento. Depois de 3 meses de muita ralação, de viagens e projetos, (trabalheira inclusive que me ausentou do contato com vocês) Finalmente resolvi parar,descansar, ficar com a família, ler um pouco e talvez até sair e ir ao cinema. Confesso que estive como um louco pesquisando programações de salas de cinemas nos shoppings da Capital, procurando assistir ao documentário “Herbert de Perto” um filme que conta a trajetória marcante do líder dos Paralamas do Sucesso. Mas se tratava de um filme que já havia saído de Cartaz. “Tá rolando cacete pra assistir o novo da Xuxa, o Avatar, e o do Lula” explica o gerente.

Alguns amigos estavam querendo assistir “Lula o filho do Brasil”. A entrada custava R$ 30,00! enquanto os camelôs anunciavam o velho piratão à 2 reais, aquele velho gravadão em cinema na butuca, com som jurássico de tanta reverberação. Resumo da ópera: De qualquer forma, em qualquer naipe de poder aquisitivo o filme do Lula está sendo disputado!

Fui assistir o filme, sempre admirei a trajetória marcante do nosso presidente Lula e o próprio como político e líder que é. Mas se de fato precisamos puxar essa discussão para a plataforma política, não nos envolvendo tantos à discussão técnica. Falaremos de todos os porquês dessa super produção cinematográfica ser lançada apenas agora no começo de um ano eleitoral como esse de 2010. A Trajetória do Lula, poderia ser contada durante seu primeiro governo. Ao Fim deste, ou até mesmo quando ele se elegeu naquele turbilhão de sentimentalismo e de apelo popular, quando de fato, “Nunca antes na história deste País” se viu um causa ser abraçada pelo povo brasileiro com tanto fervor e com tanta convicção. O Povo brasileiro elegeu Lula como deu impeachment a Fernando Collor de Melo.

Mas esse ano, ninguém tem certeza do que pode ser eleição. Não se sabe se o presidente terá força para eleger sua sucessora e nem se ela de fato pode enfrentar toda a pressão partidária e tudo que ainda vai acontecer.

Por trás da mega produção, existem diversos interesses envolvidos em sensibilizar e trazer de volta o mesmo apelo popular de 2002, para que não se esqueça essa trajetória do presidente, inclusive falar isso é mister, é o óbvio, é o que qualquer pessoa poderia dizer. Mas me impressiona a personificação de Mártir feito do filme, envolta da imagem do Presidente, enquanto a principio a fantástica atuação de Glória Pires, faz a gente pensar porque o filme não se chamou “ Lindú, a Mãe do Brasil “ tamanha sua garra e determinação de mulher tupiniquim muito bem representada nas telonas.

Não atendo-se à supremacia técnica, às trilhas sonoras e a todo o impacto de um emaranhado de cenas fortes do meio ao final que mostram como o presidente foi do inferno ao Céu e chegou à ocupar a cadeira do maior cargo da Nação, vemos não um “Lulinha, paz e amor” mas um Lula sofrido de outros tempos e que conhecia de fato a dura realidade da população mais pobre desse País.

Restava-me ironizar com o porteiro com um sal cético, um certo sarcasmo:

“Tem que pagar pra ver o filme do Lula? Porra! Peraê!! Horário Eleitoral não é gratuito?”

2 comentários

Amaro Dantas disse...

Gutão, você é phooda com Ph de pharmácia e dois "óó" de cooperativa! Sempre com essa sensibilidade sensacional para escrever coisas inteligentíssimas! Parabens meu nobre, vc é muito bom!

Nikacio Lemos Bitencult disse...

Dizem que o Filme o filho do Brasil só não ganha do 2012 NA MENTIRA !!!

Putz que filme mentiroso e oportunista esse do demagogo, mentiroso, corrupto e oportunista do Lula.
Fui..........

Tecnologia do Blogger.