Mulher, solteira e nordestina é o perfil do principal visitante do carnaval pernambucano

Pernambuco recebeu 800 mil visitantes durante o carnaval 2010. O número representa um aumento de 40 mil pessoas em relação ao mesmo período do ano passado, quando o estado contou com 760 mil foliões. O levantamento foi divulgado durante coletiva realizada em conjunto pela Fundarpe e a Secretaria Estadual de Turismo.

A pesquisa foi realizada Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur) durante e após a folia de momo, com 1.253 questionários aplicados na Região Metropolitana do Recife, Bezerros e Nazaré da Mata, além de enquete feita por telefone na rede hoteleira do estado. O principal dado é que durante os 12 dias de festa (entre 5 e 17 de fevereiro) foi gerado uma receita de R$ 370 milhões, valor que supera os R$ 360 milhões movimentados em 2009.

Os 15 pólos do interior do estado conseguiram reunir cerca de 360 mil foliões por dia, ficando destaque para o município de Bezerros, que recebeu aproximadamente 600 mil visitantes no domingo de carnaval, dia do tradicional desfile de papangus. Outros atrativos que também foram pontos certos para o turista que visitou Pernambuco foram o pólo do Fortim do Queijo, em Olinda, que atingiu uma média de oito mil pessoas/dia , e a casa da Cultura do Recife, que registrou média de 250 pessoas diárias.

A campanha de divulgação Do Sertão ao Cais foi responsável pela movimentação nas principais cidades do interior. Em Petrolina, o show do grupo Matingueiros levantou um público de 30 mil pessoas, que chegou a 40 mil nos outros dias de festa. Em Belém do São Francisco, a apresentação do cantor Jair Rodrigues reuniu sete mil pessoas na praça da cidade.

No Agreste, além do município de Bezerros, os caiporas de Pesqueira foram responsáveis por atrair cerca de dez mil pessoas a cada noite, mesmo público que conferiu as alegorias do município de Vitória de Santo Antão. “O princípio da política pública de cultura é fazer cultura para os pernambucanos, para que eles conheçam o próprio estado, do cais ao sertão, e com isso a gente consegue atrair um maior número de turistas”, destacou a presidente da Fundarpe, Luciana Azevedo.

Pesquisa - O levantamento realizado pela Empetur traçou um raio-x do turista que passou por Pernambuco. A pesquisa foi focada em dois grupos de visitantes: os turistas – aqueles que passam mais de 24 horas num mesmo destino – e os excursionistas, que apenas visitam uma localidade, sem necessariamente fazer pernoite.

Dos visitantes que conferiram o carnaval do estado, 92,26% foram brasileiros – sobretudo da região nordeste (60,47%), os outros 7,74% de estrangeiros vieram da Alemanha (15,31%), Portugal (12,24%) e Itália( 11%). Este grupo de turista/excursionista possui a idade média entre 18 e 25 anos e é formado principalmente por mulheres (51,68 %) e solteiras (56,17%). Os casados representam 33,89% do total.

A média estadual da rede hoteleira foi de 97%, sendo que a Região Metropolitana do Recife registrou um índice de 99% entre o Sábado de Zé Pereira e a Quarta-Feira de Cinzas. No entanto, quem desembarcou em Pernambuco preferiu mesmo ficar hospedado na casa de parentes ou amigos (63,05%), contra os 18,04% que preferiram os hotéis e 7,05% que permaneceram em pousadas.

A permanência média foi de 7,7 dias, o que gerou um gasto médio individual de R$ 111,41 para o público em geral e de R$ 194,76 para quem esteve hospedado em hotel. A impressão deixada pelo carnaval de Pernambuco foi responsável por 96,14% dos entrevistados dizerem que recomendariam a festa popular pernambucana para amigos e parentes. “Este índice foi comemorado por todo o governo, porque significa que acertamos na política e na divulgação do nosso carnaval. Além disso, mostra também que o povo pernambucano soube como brincar na festa com paz e segurança”, revelou o secretário estadual de turismo, Paulo Câmara.



Por Elian Balbino, da Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.