Vacina contra HIV é destaque de encontro em Pernambuco

por Steffan Nath

Especialistas do Brasil e da África do Sul trocam experiências

nrd2150-i1Intercâmbio entre Brasil e África do Sul por uma Vacina contra a AIDS é pauta no “Encontro de Vacinas Anti-HIV – Brasil e África do Sul”, promovido pelo Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo (GTP+). O encontro começa hoje (11) de março em Olinda e vai reunir até sábado (13) especialistas nacionais e internacionais para discutir temas como pesquisas em Vacinas Anti-HIV, tratamentos terapêuticos (complementares) e participação comunitária. É a primeira vez que o evento com foco em vacinas anti-HIV é realizado em Pernambuco.

Para o organizador do evento e coordenador do GTP+, Wladimir Reis, a realização do encontro em Pernambuco é uma oportunidade para que pesquisadores e a sociedade civil organizada possam se comunicar e trocar experiências com especialistas da África do Sul e do Brasil. Participam do encontro a coordenadora Elisa Levendal, da SAAV, a Elizabeth Mills, da Universidade Cap Town, o Ntando Yola, da Fundação Desmund Tutu Trust; também marcam presença pesquisadores e doutores da UFPE, como Luiz Cláudio, Paulo Carvalho e Solange Rocha. Além de representantes governamentais como o coordenador Adjunto do Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais, Eduardo Barbosa, a representante do Programa Estadual de DST/AIDS, Maria Goret Godoy. E também representantes da sociedade civil como Alexandre Menezes (IAVI), Juan Carlos (ABIA – RJ), Jorge Beloqui (GIV – SP), Mônica Barbosa (Projeto Praça Onze – RJ), Rubens Raffo (RNP+ -RS), Josefa Conceição (GTP+ – PE) e Josineide Menezes (Gestos – PE).

Entre as principais preocupações dos pesquisadores, inclusive no Brasil, são as estratégias de apoio a pesquisas em Vacinas. De acordo com a Iniciativa Internacional de Vacinas contra Aids (IAVI), o investimento global em pesquisas de vacinas anti-HIV é de US$ 960 milhões por ano. Atualmente, 46 estudos reúnem 25 mil voluntários em 23 países, incluindo o Brasil.

O Encontro de Vacinas Anti-HIV – Brasil e África do Sul ocorre em Olinda – Pernambuco. O evento é financiado pelo Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais, Programa Estadual de DST/AIDS, Coordenação Municipal de DST-AIDS Olinda – PE, IS – Serviço Internacional, IAVI e a Diaconia. Outras informações podem ser obtidas no site: www.gtp.org.br

Plano Nacional

No encontro, também será discutido o IV Plano Nacional de Vacinas Anti-HIV, único na América Latina e um dos poucos elaborados por países em desenvolvimento. Segundo a IAVI, África do Sul, China, Índia e Tailândia são outros países em desenvolvimento que têm atuação mais destacada na área de vacinas.

Cenário mundial

Hoje, 33 milhões de pessoas vivem com HIV no mundo. Em 2007, ocorreram 2,7 milhões de novas infecções pelo vírus e 2 milhões de pessoas morreram em decorrência da Aids. No Brasil, estima-se em 630 mil o número de pessoas infectadas pelo HIV, com uma média anual de 32 mil novos casos de Aids e 11 mil mortes em decorrência da doença.

No país, atualmente, 185 mil pessoas têm acesso universal ao tratamento da Aids no Sistema Único de Saúde (SUS) – o que representa uma cobertura de 95% dos portadores do vírus que precisam dos medicamentos. Garantido por lei desde 1996, o tratamento melhorou a qualidade de vida dos portadores do HIV. No entanto, os medicamentos anti-retrovirais, usados no tratamento da Aids, causam vários efeitos adversos nos pacientes, como complicações metabólicas e neurológicas. Esse é um dos principais fatores de mobilização da comunidade científica internacional em torno de uma vacina anti-HIV. Por outro lado, uma vacina terapêutica poderia ser um importante coadjuvante do tratamento, ao reduzir a carga viral dos pacientes e, conseqüentemente, a necessidade de uso de anti-retrovirais.

No Brasil

Segundo dados do Governo Federal, entre 1980 e 2000, a região com maior incidência do vírus HIV é a Sudeste, com 60,4 casos registrados para cada 100 mil habitantes. Já a região Sul concentra 18,9 casos/100 mil habitantes. Em terceiro lugar está a região Nordeste (11,5 casos/100 mil habitantes), seguida pela região Centro-Oeste (5,7 casos/100 mil habitantes) e pela região Norte (3,6 casos/100 mil habitantes).

Em Pernambuco

De acordo com o último Boletim Epidemiológico da Aids e de Doenças Sexualmente Transmissíveis, a estimativa é de que existam 630 mil pessoas vivendo com o vírus HIV no Brasil, com 13.103 casos notificados em Pernambuco. A pesquisa também aponta o aumento do número de casos de infecção entre as mulheres em relação aos homens. Para cada dois homens, uma mulher é portadora do vírus.

Fonte: Agência Aids

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.